quarta-feira, 5 de setembro de 2012

ACONTECENDO



Permanências.
Barbicha me ataca e , ainda assim, não me desprendo dele. Meu parceiro de sexo duvidoso. Não vou negar cair na mesma situação colaborando, também, com minha infantilidade. Você deve se lembrar da sensação de estourar bolhas de plástico e da imbecilidade anexada à delícia da ação. Um trabalho e um pequenininho sacrifício por um pequenininho prazer. Não sei bem se lhe interessa, mas porque acha que estou aqui? Este serviço fora-de-barco neste local que chegamos... LUZ... Não tem sido muito confortável. Gosto deste desconforto, porém. Agrada uma vida como a minha. Não pensada em fama, lucro e ascensões. Este pouco já anda me bastando e trazendo sorrisos. O caminho não me incomoda e sim o lugar que aportamos.
Barbicha continua tocando suas melodias que me fazem dançar ao invés de andar e são coisas pequenas assim que me motivam para continuar nesta vida. (Existe outra?) Pensei em pássaros hoje. Sempre gaivotas e todos os bichos clichês marítimos que você possa imaginar. Aqui, neste novo lugar, temos fileiras de pombas que nos assistem. Percebendo beleza no que se é considerado sujo.

Tombinho.

Um comentário:

  1. Uma página arrancada do diário do "Perninha" (??)
    Adorável.

    ResponderExcluir